Life in NL

Então e os coffeeshops?!

Monday, December 05, 2016

Para o comum dos mortais, morar na Holanda ou visitar o país é sinónimo de visita obrigatória a um (ou mais para os amantes da coisa) coffeeshop.
Compreensível para quem vem de países onde o consumo é proíbido e gosta de fumar a sua “joint” de vez em quando.
Agora para vosso espanto, as coisas não são assim tão simples!

Comecemos pelo princípio, já lá dizia o outro.
Quando me mudei para a Holanda, em 2011, coffeeshops eram como outra loja qualquer. Abertos a qualquer pessoa, residente ou turista, em qualquer vila ou cidade do país, sem restrições. Afinal de contas, a Holanda sempre foi conhecida por ser um país p’ra frentex, e portanto, ir a um coffeeshop era quase como ir beber uma bica com os amigos assim ao final de um dia de trabalho.

Mas a coisa mudou!
Calma...
Não mudou em todo o lado.

Pra quem visita as grandes cidades, não há qualquer problema (tanto quanto sei!), portanto não precisam de desmarcar a viagem para A’dam (diminutivo para Amsterdão em Holandês).

Então em que é que ficamos?! Ficamos naquela grey-zone.
Acho que foi em 2013 se a memória não me engana, as regras mudaram e foi introduzida uma restrição a quem pode ou não ser cliente dos coffeeshops. O problema levantou-se porque vilas/cidades fronteiriças tinham o chamado “coffeshop tourists”; pessoas que se deslocavam exclusivamente para irem a estes locais. O que tinha isso de mal?! Também não sei...
Foi então proibido o acesso a quem não fosse residente, e passou a ser obrigatório ter o “weed pass” ou “coffeeshop pass”...... No comments.
Resumindo e baralhando, pelo menos na cidade onde moro, os donos dos coffeeshops revoltaram-se e fecharam durante tempo indeterminado como forma de protesto.
Consequência?? A óbvia; começou a haver tráfico na rua....
Source: Google.com
Lá se devem ter entendido, e agora, alguns já reabriram (mas muitooo menos). Nunca mais se ouviu falar do “weed pass”...

Agora assim a jeito de resumo:
Nem toda a gente que mora na Holanda é cliente assíduo dos coffeeshops.
Nem todos os turistas são “coffeeshop tourists”.
Se querem jogar pelo seguro vão a A’dam; lá tenho a certeza que continua a ser livre para todas as pessoas, residentes ou não.

Moral da estória (sim!! Estória e não História):
Complicaram algo que não valia muito a pena complicar.
Mais burocracia.
Mais tráfico nas ruas nas vilas/cidades em que a restrição ainda se impõe.
Há muito mais para ver/visitar na Holanda que os coffeeshops ou A’dam! 

Boa semana!

Até breve!

You Might Also Like

0 comments

SUBSCRIBE BY EMAIL



Bloglovin

Follow